29 fevereiro 2012

Make it Happen

 Excerto da minha crónica na Revista Eles Elas-Outubro 2008

Decidi começar esta crónica ao contrario no tempo. E porquê? Porque numa fotografia da minha recente viagem que o Filipe me tirou no aeroporto de Amsterdão, atrás de mim está uma placa que diz ”Make It Happen”, nem reparámos quando a fotografia foi tirada e quando a vi pensei...não há melhor frase para começar a minha crónica deste mês pois é uma frase em que acredito totalmente.

Está nas mãos de cada um de nós fazer acontecer, perseguir os nossos objectivos para concretizarmos os nossos projectos de vida e por falar em projectos de vida vou já voltar ao inicio do tempo desta crónica: O nascimento da minha filha Joana, que aconteceu uns dias depois da minha filha mais velha, a Mónica fazer 6 anos.

E é engraçado pois a Joana é a minha terceira filha e foi tão especial como se fosse a primeira ou a segunda.

É fruto de um novo amor que nos rejuvenesce, que nos dá força, que nos faz sonhar e que ao mesmo tempo que nos faz levitar também nos dá segurança e serenidade.

Em questões de amor não me posso queixar, do meu primeiro casamento ficou um melhor amigo e duas filhas maravilhosas e agora vivo um amor maduro, fruto das certezas dos 30 anos, e não falo das certezas do que quero porque é esse o motor da vida, o aparecimento diário de novos sonhos, novos objectivos, falo das certezas do que não quero.

E isso é muito importante, porque sinto que estou numa fase em que já eliminei muitas coisas com as quais não interessa perder tempo.

E deste amor nasceu a minha Joaninha, não sei dizer com quem é parecida, pois desde que nasceu já mudou muito e já teve fases em que a achei parecida com o Filipe e fases em que a achei parecida comigo e com as irmãs.

Agora olho para ela e não interessa com quem é que é parecida, ela é única e é ela. A Joana tem agora quase 3 meses e faz as delicias de todos cá de casa. Está sempre bem disposta e a rir e nunca a ouvimos chorar...só a refilar quando tem fome...

Está muito gordinha porque só come e dorme. A Mónica e a Vera estão sempre a olhar por ela e são uma óptima ajuda.

Uma semana depois da Joana nascer fomos para S.Martinho, as nossas primeiras férias todos juntos. Foi um verão especial, pude mostrar S. Martinho e todos os seus segredos ao Filipe, eram as primeiras férias da Joana e no fundo estar com as pessoas que mais amo no local mais especial para mim de todos.

O resto da família também lá estava toda de férias e aproveitaram para conhecer o novo membro da família. O meu irmão e a namorada, a Maria também foram lá passar uns dias a casa e ai sim estava tudo completo, porque sei que os meus pais também estavam lá connosco, orgulhosos e felizes por nós estarmos felizes também, pois se essa foi sempre a preocupação deles enquanto cá estiveram lá em cima não nos devem largar um segundo.

Voltámos e comecei logo a trabalhar, eventos, reuniões, a azáfama do costume da rentrée. Confesso que não foi fácil com uma filha de um mês, com o inicio das aulas das mais velhas conciliar tudo, mas lá fui conseguindo.

Tento dar um cunho pessoal a todos os meus trabalhos e isso às vezes é humanamente impossível, mas graças a Deus tenho contado com a ajuda de óptimos profissionais com os quais tenho trabalhado e que têm partilhado comigo os sucessos dos eventos. E é uma sensação tão boa, dar tudo por tudo profissionalmente e ver que as coisas correm bem e que sou reconhecida por isso.

Mas por mais ajudas e por mais que me ache a super mulher o cansaço acumulado começou a dar sinais e o Filipe fez-me uma surpresa ou melhor um ultimato, comprou dois bilhetes para Los Angeles e apareceu em casa a dizer: Faz as malas que o voo é amanhã...

Fiquei feliz, mas à medida que a hora de irmos para o aeroporto se aproximava, a minha angustia aumentava, despedimo-nos das gordas e fomos, quando entrei e me sentei no avião tive uma sensação estranhíssima, uma angustia, uma falta de ar, um ataque de nervos e cheguei a dizer ao Filipe que não conseguia ir, para sairmos do avião, o que vale é que não há pessoa mais calma que o Filipe e que com a sua maneira típica tranquila desdramatizou a situação.

Lá consegui descontrair e deixar de pensar angustiosamente nas minhas gordas e sim ter pensamentos agradáveis sabendo que elas iam ficar bem.

E apesar delas não me terem saído da cabeça um minuto, foi uma semana fantástica numa cidade mágica, que conhecemos duma ponta à outra. No regresso fizemos escala em Amsterdão e aproveitámos para ir visitar a cidade, linda...

Quando chegámos atirei-me para os braços das minhas filhas e tive um dia inteiro agarrada a elas antes de regressar ao trabalho.

Make it Happen!

 O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também!

Que será será

Excerto da minha crónica da Revista Eles e Elas-Julho 2008

“When I was just a little girl
I asked my mother what will I be
Will I be pretty
Will I be rich
Here's what she said to me
When I was just a child in school
I asked my teacher what should I try
Should I paint pictures
Should I sing songs
This was her wise reply
When I grew up and fell in love
I asked my sweetheart what lies ahead
Will there be rainbows day after day
Here's what my sweetheart said
Que sera sera
Whatever will be will be
The future's not ours to see
Que sera sera
What will be, will be
Que sera sera...”Doris Day




Esta era a música que a minha mãe me cantava para eu adormecer, foi a música que eu cantei para as minhas filhas adormecerem e é a música que eu estou desejosa de cantar para a minha filha Joana adormecer...

Para além de ser uma música que me traz essas recordações, tem uma letra que ilustra bem as dúvidas que uma mulher tem nas diferentes fases da vida e é uma mensagem que gosto de passar não só às minhas filhas mas a todos aqueles que me pedirem conselhos...o que será, será...

  O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também! 

Confiança

Excerto da minha crónica da revista Eles E Elas-Maio 2008


« A journey of a thousand miles begins with a single step.» Provérbio Chinês
“Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.”
Fernando Pessoa

Decidi começar esta crónica com estas duas citações que são um misto daquilo que sinto muitas vezes enquanto profissional da minha área.

Dei comigo a pensar que mesmo trabalhando na área da comunicação há vários anos, há sempre situações, pessoas e empresas que ainda me conseguem surpreender. Adoro quando me sinto a trabalhar com pessoas que pensam e funcionam como eu, de igual para igual, a incompetência, e a falta de profissionalismo e de senso comum matam-me.

É maravilhoso trabalhar com pessoas que para além de já conhecerem o meu trabalho confiam nele a 100%, não questionam nem exigem nada, pedem-me o trabalho e deixam-me tudo nas mãos sabendo que no dia do evento eu lhes vou apresentar aquilo que prometi, independentemente de como o faça ou em que timing.

De vez em quando deparo-me com o oposto, pessoas e empresas que pedem, questionam, desconfiam, exigem, ameaçam, não entendem e parece que nunca trabalharam nesta área.
O desgaste psicológico que estes clientes exigem dá o triplo do trabalho e a gestão de mentalidades destas é muito complicada...fazê-los entender que é impossível apresentar uma lista final de convidados a um mês do evento e mesmo a uma semana.

E é preferível não apresentar nomes que não se tem a certeza se vão ou não estar presentes só por apresentar e para atrair a imprensa, a imprensa prefere ter a lista de convidados na véspera mas ser a real do que ter muito mais tempo antes e ser fictícia.

Vou continuar a reger-me pelos princípios com que sempre trabalhei mesmo que isso signifique entrar em alguns ”debates” com alguns clientes, porque sei que o resultado final é aquele com o qual me comprometi e que no fim o cliente vai ser o primeiro a reconhecer isso.

 O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também!  

Pessoas bem resolvidas

Excerto da minha crónica na Revista Eles E Elas-Abril 2008


“Não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito" William Shakespeare

Nem toda a gente vive os 30 da mesma maneira. E às vezes tenho dificuldade de encontrar pessoas bem resolvidas com a vida. Porque acho que a partir dos 30 é isso mesmo, podemos ainda não saber o que realmente queremos, mas acho que sabemos bem o que não queremos mesmo!

Já pensei que podiam ser fases e que essas aconteciam em qualquer idade, temos fases mais sociais, outras menos, fases em que apetece-nos sair sem parar e outras que nos apetece estar no sossego do nosso lar.

Mas como eu e a maioria dos meus amigos estamos estou nos trinta decidi escrever sobre a minha realidade.

Em conversa com a minha amiga Rita Ferro entrámos numa de revivalismos e começámos a comparar este nosso ano com o ano passado.

Tem sido bem diferente. O ano passado saímos todas as noites, andávamos numa roda viva para conciliar trabalho, família e diversão e conseguíamos mesmo que para isso dormíssemos poucas horas por dia, foi um ano fantástico em que nos sentíamos bem connosco próprias, com os outros, com a nossa vida. Estávamos bem resolvidas.

E o engraçado é que este ano tem sido completamente diferente e tem sido tão bom ou melhor. Por isso o nosso bem estar e a nossa felicidade pode não ter a ver com as ditas fases mas sim com a maneira como nos sentimos connosco próprios.

E o que tenho constatado à minha volta e me tem feito uma certa confusão é que a maioria das pessoas se deixa influenciar por tudo o que os rodeia.

Mudam conforme as situações, conforme os locais e conforme os momentos e na minha opinião isso não ajuda a que uma pessoa tenha a cabeça resolvida e que se deixe levar, como se costuma dizer “go with the flow” e acho que essa é sem dúvida uma boa maneira de passarmos por esta vida.

As pessoas continuam a importar-se muito com a vida uns dos outros, a compararem-se uns com os outros, a invejarem, a meterem-se onde não são chamados, sem olharem primeiro para si mesmos. E isso é uma das maiores formas de hipocrisia, porque nunca se mostram na sua verdadeira essência.

A minha sugestão nesta crónica é que as pessoas se relaxem, não dêem tanta importância a pormenores insignificantes, que aconselhem as pessoas que as rodeiam sem se meterem e sem interferirem directamente na vida delas.

Quando aprendemos por nós próprios conseguimos tirar as melhores lições e conseguimos arrumar as coisas na nossa cabeça à nossa maneira e não há melhor maneira de pensar do que a nossa.

  O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também! 

Lições de vida

Exceto da minha crónica na revista Eles E Elas-Fevereiro 2008


Vou ser mãe pela terceira vez.

É uma bênção, é um presente e é também um revolucionar de emoções. Repensamos a vida toda e encaramos o dia a dia e o futuro com outra força.

Os filhos são tudo, eu não me imagino sem as minhas filhas e já não me imagino sem este bebe que está a caminho. Partilhar esta alegria com a minha família, com os meus amigos mais próximos é das melhores coisas que existem, principalmente quando sinto que lhes estou a dar uma felicidade extra.

Numa das minhas crónicas tinha falado de ter chegado a um ponto da minha vida depois de algumas infelicidades que me aconteceram de não dramatizar nada e das coisas negativas me passarem ao lado, relativiza-las e não lhes dar importância, esquece-las tão bem que mais tarde quando preciso de as recordar por alguma razão, não consigo.

São desilusões da vida, mas que são tão pequenas, tão insignificantes ao lado das grandes desgraças que não passam de pequenos episódios, em que os protagonistas se enrolam na própria teia sem conseguirem levar ninguém atrás.

E eu tenho a sorte de ter sempre ao meu lado pessoas que são seres humanos fabulosos, que me surpreendem com a sua grandeza de espírito diariamente e que só me posso sentir uma privilegiada por contar com essas pessoas na minha vida e não preciso de falar em nomes para os engrandecer ainda mais.

Decidi deixar um pensamento sobre as desilusões:

“Na vida todos nós enfrentamos desilusões.
Decepcionamo-nos com amigos, parentes, e até connosco próprios.
Desiludimo-nos quando vimos um sonho se transformar em pesadelo, um alvo transformar-se numa miragem bem distante, um desejo desaparecer como uma neblina.
A desilusão dói, como um ferimento. Atinge a qualquer um, sem excepção.
Mas o importante é saber que novos sonhos podem ser sonhados, e que um novo dia certamente amanhecerá.
Fomos criados por Deus com a incrível capacidade de nos recuperarmos.
Fomos feitos com a capacidade de sair das cinzas para a glória, do nada para o tudo, da derrota para a vitória.
Como a águia, temos dentro de nós o desejo de voar grandes alturas, portanto também acima das desilusões.
Cada desilusão é um convite a um novo sonho, a uma nova visão da vida.
É um convite a um novo desafio, a um novo caminho...
Aquele que desperdiça o dia de hoje, lamentando o de ontem, desperdiçará o de amanhã, lamentando o de hoje.”(P.Raskin)

Com o inicio do ano, vem a necessidade da organização do novo ano, aproveitei para organizar a minha nova casa, a minha nova empresa, a minha nova fase da vida.

Tive a excelente noticia que a minha grande amiga Rita Ferro se vai casar, estou tão feliz por ela.

Tem sido uma companheira e juntas ultrapassamos um ano que uma sem a outra não teria sido fácil de ultrapassar.

Separámo-nos as duas na mesma altura, aproveitamos até à exaustão a nossa fase de solteiras e voltamos a encontrar o amor ao mesmo tempo.

Agora partilhamos duas fases igualmente importantes e de grande felicidade, eu vou ter um bebe e ela vai-se casar.

Na vida vamos tendo vários amigos, uns ficam, outros desiludem-nos e vão, mas nunca deixamos de acreditar que a amizade vale a pena, porque há pessoas como a Rita.

E cada vez mais percebemos que as relações de amizade são como as de amor, por mais que nos desiludamos, nunca deixamos de acreditar.

E há os amores que se tornam em grandes amigos, como é o caso do meu ex marido, o Ruca. Tem sido um amigo sem igual e é muito bom saber que posso contar com ele para tudo.

Fui ver o concerto de despedida dos D’Zrt e para além de ter testemunhado quatro jovens profissionais na sua área, de ouvir 4 fabulosas vozes em diferentes registos, reforcei que estas bandas fazem todo o sentido.

Porque despertam emoções, porque despertam sentimentos, fazem com que as pessoas esqueçam os seus problemas enquanto ouvem as suas músicas, enquanto vibram com um concerto.

É de facto emocionante ver a alegria das pessoas e a tristeza ao saber que o grupo vai acabar. Parabéns D’rt por conseguirem dar alegria, cor à vida de tantas pessoas.

O novo lar com a nova família, só me tem trazido alegria e a vinda de uma novo bebe ainda vai reforçar mais toda esta sensação de paz, serenidade e felicidade.

  O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também! 

Destino

Excerto da minha crónica na Revista Eles E Elas-Dezembro 2007 

Destino(Entende-se destino como uma sucessão de factos que podem ou não suceder, e que constituem a vida do homem, resultantes de causas independentes de sua vontade. São seus sinónimos: fado, fortuna, sina, sorte, fatalidade.)
Wikipédia

“Destino, sigo-te! E mesmo que não o quisesse, deveria fazê-lo, ainda que gemendo.” Nietzsche

“Em todos os momentos da nossa vida existem coisas que podiam ter acontecido e acabaram por não acontecer.
Cada pessoa em sua existência pode ter duas atitudes: construir ou plantar. Os construtores ficam limitados por suas próprias paredes. Os que plantam sofrem com tempestades, as estações e raramente descansam, mas o jardim jamais vai parar de crescer.
Quem interfere no destino dos outros nunca descobrirá o seu.
Só percebemos o milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça.
Procure viver. Lembrar é para os mais velhos.”
Paulo Coelho

O esperado é só o principio. O inesperado é que muda a nossa vida. O Esperado perde importância para dar lugar ao inesperado.

Já tinha começado uma das minhas crónicas a escrever sobre coisas que não estamos à espera, sejam boas ou más que nos acontecem de repente.

Chamemos-lhe destino, o que quiserem, mas a verdade é que não têm parado de me acontecer surpresas, coisas inesperadas, boas e más.

Fui convidada para participar como madrinha no programa Cantando e dançando por um casamento de sonho na TVI, a minha primeira resposta foi não.

Depois pensei, mas porque não? É uma experiência única e vou tirar o melhor partido dela e foi o que eu fiz, aceitei o desafio e passei semanas de grande alegria e descontacção, cantei e dancei em televisão, conheci excelentes profissionais e adorei!

“A Felicidade é qualquer coisa que depende mais de nós mesmos do que das contingências e das eventualidades da vida.”
Júlio Dantas


  O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também! 

Verdade e Carpediem

Excerto da minha crónica na revista Eles E Elas-Setembro 2007


Decidi começar esta crónica com o significado da palavra verdade, que curiosamente é a palavra que tenho num simbolo chinês, numa tatuagem no meu ombro direito.

Sinto que a verdade absoluta, a nossa verdade, a verdade dos que nos rodeiam se está a perder cada vez mais.

Cada vez mais há um querer parecer, um querer ser e não um ser na realidade.

A preocupação em agradar, em alcançar os objectivos, as pessoas não olham a meios para atingirem os seus fins, nem que para isso tenham que mentir, tenham que inventar, tenham que aparentar aquilo que não são na realidade.

E isso sempre foi uma coisa que me fez muita confusão. Porque para mim a verdade é tudo. Por pior que seja.

Foi por isso que decidi investigar o significado desta palavra, deste termo pelo qual sempre regi a minha vida, ao ponto de fazer uma tatuagem com esse significado há muitos anos atrás:
Verdade significa o que é verdadeiro.

Para Nietzsche a verdade é um ponto de vista. Ele não define nem aceita definição da verdade, porque diz que não se pode alcançar uma certeza sobre isso.

O primeiro problema para os filósofos é estabelecer que tipo de coisa é verdadeira ou falsa, qual o portador da verdade. Depois há o problema de se explicar o que torna verdadeiro ou falso o portador da verdade. Há teorias robustas que tratam a verdade como uma propriedade. E há teorias deflacionárias, para as quais a verdade é apenas uma ferramenta conveniente da nossa linguagem. Desenvolvimentos da lógica formal trazem alguma luz sobre o modo como nos ocupamos da verdade nas linguagens naturais e em linguagens formais.

Depois de encontar estas explicações um tanto ou quanto confusas decidi retirar frases que acho que traduzem melhor a verdade:

“A verdade alivia mais do que magoa. E estará sempre acima de qualquer falsidade como o óleo sobre a água.”(Miguel de Cervantes)

“A primeira e pior de todas as fraudes é enganar-se a si mesmo. Depois disto, todo o pecado é fácil.”(J. Bailey)

“Acreditar em algo e não o viver é desonesto.”(Gandhi)

“Apenas pelas palavras o ser humano alcança a compreensão mútua. Por isso, aquele que quebra sua palavra atraiçoa toda a sociedade humana.”(Michel de Montaigne)

“A tua única obrigação durante toda a tua existência é seres verdadeiro para contigo próprio.”(Richard Bach)

“Cada vez que mentes para evitar um esforço, a manta sob a qual te escondes torna-se um pouco maior, até que acabes por te afogares debaixo dela.”(Rafik Schami)

“A verdade nunca é injusta; pode magoar, mas não deixa ferida.” (Eduardo Girão)

“A pior verdade custa apenas um grande desgosto. A melhor mentira custa muitos pequenos desgostos e, no fim, um desgosto grande.”(Jacinto Benavente)

“Aquele que procura a verdade corre o risco de a encontrar.”(Manuel Vicent)

“A única verdade é a realidade.”(Aristóteles)

“A verdade libertar-vos-á.”(Evangelho de S. João)

“Não somos nós que criamos a verdade, que a dominamos e a fazemos valer. É a verdade que nos possui.”(Alejandro Llano)

“Uma garrafa de vinho meio vazia também está meio cheia; mas uma meia mentira nunca será uma meia verdade.”(Jean Cocteau)

“A repetição não transforma uma mentira numa verdade.”(Roosevelt)

“Se não queres que ninguém saiba, não o faças.”( provérbio chinês)

Depois de ler estas frases, com as quais concordo plenamente, decidi ir pesquisar frases que têm a ver com outra forma de vida que tenho, a de viver cada dia como se fosse o Último(carpediem)-outra tatuagem que tenho, também em simbolo chinês, no meu tornozelo esquerdo. E eis o que encontrei:

“Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, e depois perdem o dinheiro para a recuperar. Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por nem viver no presente nem no futuro.Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se não tivessem vivido...”(Confúcio)

“Aquele que desperdiça o dia de hoje, lamentando o de ontem, desperdiçará o de amanhã, lamentando o de hoje.”(P.Raskin)

“Cada dia é uma pequena vida.”(Horácio)

“Não queira acrescentar dias à sua vida, mas vida aos seus dias.”(Harry Benjamin)

“Nunca é tarde demais para ser aquilo que sempre se desejou ser.”(George Eliot)

De certo modo penso que as duas formas de encarar a vida estão interligadas, porque se vivermos com verdade e o mais intensamente possivel, tirarmos melhor partido das coisas, das pessoas, da vida.

E por isso é que decidi escrever sobre estes temas, porque no verão ainda reforço mais este meu estilo de vida, e sinto que os trinta anos me vieram ajudar a concretizar isso com maior entusiasmo, maior convicção, com o soro da verdade sempre a vir ao de cima.

E estou a adorar.

  O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também! 

Surpresas da vida

Excerto da minha crónica na Revista Eles e Elas-Julho 2007

“Do not look back and grieve over the past, for it is gone. And do not be troubled about the future, for it is yet to come. Live in the present and make it so beautiful that it will be worth remembering.”
Ida Scott Taylor

A vida dá muitas voltas e é por isso que sou da opinião que não se devem fazer grandes planos, devemos deixar as coisas andar, “go with the flow”.

Não devemos tomar nada como garantido, porque a vida prega-nos partidas, quando somos surpreendidos por coisas más, temos que nos levantar, erguer a cabeça, mesmo parecendo e tendo a sensação de como é que é possivel de repente, em segundos tudo aquilo que achávamos como seguro se desvanece e parece que nunca mais nada vai ser como dantes e não vai mesmo.

Mas aprendemos a viver com isso, a lidar com isso, a crescer com isso.

E temos as vezes que somos surpreendidos por coisas boas que do nada e quando menos esperávamos acontece e parece que tudo volta a fazer sentido. O sorriso está estampado no rosto 24h por dia, os nossos olhos brilham e voltamos a ter força para enfrentar o mundo. Apetece-nos acordar, trabalhar, dançar, cantar, rir.

Como diz Paulo Coelho: “Muitas vezes com medo de chorar deixamos de rir e com medo de sofrer deixamos de crescer.”

Confesso que nos últimos tempos deixei que a racionalidade comandasse a minha vida, no sentido de fazer tudo o que é suposto, não arriscar em nada, não me deixar levar por sentimentos, quase como se estivesse em piloto automático.

Alguma coisa fez com que de um dia para o outro, talvez por ter chegado ao meu limite em termos de trabalho, stress, cansaço, decidi descontrair.

Pensar em mim. Viver. Ser feliz. Aproveitar todos os momentos bons sem ter medo de não os voltar a viver, e então? Outros virão. Aproveitar todas as pessoas que tenho à minha volta e dar oportunidade de conhecer aquelas pessoas novas que se cruzam no meu caminho e que se podem tornar especiais de um momento para o outro.

Sempre tive a sensação de que quando se ganhava alguma coisa, se perdia outra qualquer e isso deixava-me triste, parecia que não conseguia viver nada a 100%, porque havia sempre um pormenor ou outro que estragava a felicidade plena.

Mas afinal o que é isso de felicidade plena? Será que existe?

Mesmo quando a nossa vida está toda a correr sobre rodas, somos bombardeados pelas noticias mais chocantes e tristes que nos chegam de toda a parte do mundo e é impossível ficar indiferente a isso, porque quem não sente não é filho de boa gente.
E por tudo isto tenho aproveitado todos os momentos, como se fossem os últimos, como se fossem únicos e tenho-me sentido cheia. Completa.

O concerto da Beyoncé mostrou-nos uma mulher que de certeza que vive assim. A força em palco, o show que ela deu, a energia positiva que passou, fez deste concerto um dos melhores que tenho ido.

E chegou o dia, e este sim, posso afirmar com toda a certeza, que foi o melhor concerto que fui na minha vida.

Fiz uma surpresa aos meus avós, que são fãs dos Il Divo e levei-os comigo ao concerto. Todo o conjunto de coisas que envolverão o momento do concerto foram perfeitos.

Ver a felicidade dos meus avós, ouvir e assitir à actuação de 4 verdadeiros anjos em palco, fizeram com que as lágrimas não me saissem da cara por um único segundo, ter comigo a partilhar esse momento também duas grandes amigas minhas, fez o pleno dessa noite.

Obrigada Il Divo por me terem proporcionado um dos momentos mais especiais e espirituais e intensos da minha vida e acho que foi esse o meu ponto de viragem.

 O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também! 

Pequenos prazeres da vida

Excerto da minha crónica na revista Eles e Elas-Abril 2007


“Um coração cheio de louvor encontra alegria em muitas coisas — em aprender algo novo, em passear por um bosque, em encontrar um amigo, em ver uma vista bonita, em preparar uma refeição, em dar um presente, em ensinar uma criança, em ajudar alguém necessitado, em encontrar maneiras de servir, em descobrir uma nova verdade, em dar valor a uma verdade antiga, em fazer uma oração a Deus, em transmitir o Seu amor de maneiras simples ou mais esmeradas. Existem muitas coisas na vida que nos trazem felicidade — coisas simples, pequeninas, alegres e preciosas.”
— Chloe West

Decidi escrever esta crónica sobre os pequenos prazeres da vida.

Acabei de passar por uma fase de muito trabalho, andei num ritmo alucinante e stressante, e por mais que me organizasse(e sou uma pessoa irritantemente organizada) parecia que o tempo não chegava para nada.

É nestes tempos agitados, que sentimos falta daqueles pequenos prazeres da vida, que muitas vezes nos acompanham no dia-a-dia, e só nestas alturas damos a devida importância.

O meu maior luxo é ter tempo. Tempo para mim. Tempo para as pessoas de quem gostamos. Tempo para fazer só aquilo que nos apetece, tempo para disfrutar os pequenos prazeres da vida.

Muitas vezes perguntam-me se sou uma mulher realizada e feliz. Sou uma mulher realizada a nivel profissional e pessoal sem dúvida. Feliz a 100% não.

Desde que perdi os meus pais que a minha felicidade vai ser sempre limitada. Por mais momentos felizes que eu tenha não os tenho cá para partilhar esses momentos comigo e o que é a felicidade se não a pudemos partilhar com quem mais gostamos?

Mas isso não faz de mim uma pessoa amarga ou infeliz. Faz de mim uma pessoa realizada e que aproveita os pequenos prazeres da vida e sempre que tem tempo usa e abusa dele, pois começa a ser tão raro que é mesmo dos meus maiores luxos.

Eu basicamente não tenho tempo para nada...Tenho que me dividir entre várias coisas no meu dia a dia e ter tempo para mim para o que quer que seja começa a ser complicado.

Mas há vezes que tenho que ser exigente comigo própria e obrigar-me a ter esses momentos para não dar em louca. E de vez em quando tiro um dia sem atender o telefone para ir ao ginásio, fazer exercicio, sauna, banho turco, ir ao cabeleireiro, fazer umas compras ou simplesmente deitar-me na cama a ouvir música e não pensar em absolutamente nada.

Quando estou em alturas de muito stress e durmo mal acordo olho para o espelho e apetece-me enfiar-me na cama outra vez tais são os sinais de cansaço, mas como sou positiva por natureza, ponho logo a música aos gritos, tomo um bom banho, capricho na roupa e na maquilhagem e volto a sentir-me bem outra vez.

Há dias que me considero a mulher mais bonita do mundo há outros que nem penso nisso, tudo depende do estado de espirito. Acho que o importante é a alegria de viver, e isso transmite-se no brilho do olhar ou na sinceridade de um sorriso.Com isso qualquer pessoa é uma pessoa bonita.

Acho que fazem falta grandes festas na nossa sociedade e são essas as que mais gosto de fazer, aquelas que chamo festas de sonho, festas chave na mão. Estou a direccionar-me cada vez mais nesse sentido, porque acho que temos que mexer um bocadinho na mentalidade dos portugueses.

Mudar o hábito de se ir a um evento só por ir, de sair só à sexta e ao sábado, das pessoas se porem bonitas só em alturas especiais.

A melhor coisa que um cliente me pode propor hoje em dia é: Marta preciso de uma festa de raiz, com tudo o que isso envolve, espaço, conceito, decoração, música, convidados, animação, deixo tudo ao seu critério. Idealizar, produzir e organizar esse tipo de festas é o que mais me satisfaz.

Os seres humanos têm uma relação conflituosa com a existência.

Se a vida é “um bem precioso”, também é “cara” ou “difícil”. Quanto a mim não tenho dúvidas: a vida é complicada, mas vale a pena.

E às vezes são mesmo os pequenos prazeres - e não os grandes triunfos - que fazem a vida valer a pena.

Pequenos detalhes perfeitos que podem ser ignorados no nosso dia-a-dia por serem comuns: estão sempre ali.

Temos que reparar no que é especial para sentir o prazer da vida? Ou temos que viver a vida e aproveitar cada momento?

Não devemos esperar por algo fora dos padrões para ser feliz, para estar feliz.

  O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também! 

Eles e Elas-Natal 2006-Conversas

“Some words may hide others” -William Shakespeare

Esta é a frase com aquela decidi começar esta crónica. Secalhar porque acho que muitas vezes há coisas que ficam por dizer, com a vida agitada que a maioria das pessoas têm, falamos por meias palavras, tornamo-nos frios e exprimimo-nos tão simplesmente que pudemos ser mal interpretados.

Vivemos na era da mensagem escrita, em que o simples telefonema deixou de existir para dar lugar à mensagem escrita.

Embora muitos achem que a mensagem veio facilitar a comunicação e sem dúvida que é a maneira mais fácil de se dizerem coisas boas e más, mas na minha opinião é também a mais cobarde.

Sou contra as mensagens escritas. É certo que sempre admiti que não gosto de falar ao telefone, não tenho paciência e isso tem-se vindo a agravar ao longo dos anos por defeito profissional.

Quase todo o meu dia é passado ao telefone devido ao meu trabalho.

Gosto das conversas ao vivo. Gosto de passar horas à conversa com os meus amigos. Gosto das trocas de ideias com os clientes nas reuniões. Adoro os jantares em família. Não há melhor que ouvir as minhas filhas e o meu marido com toda a atenção e orgulhar-me deles.

Aproveitando a magia do Natal, já que infelizmente só se vive nesta época do ano, espero viver momentos mágicos com todos aqueles que me são especiais.

Aproveitar a tranquilidade e a paz do momento e viver todos os momentos em profundidade.
Deixar de lado o telemóvel, as mensagens e tudo o que seja superficial.

Dizer o que tenho a dizer, não deixar nada para depois, fazer com que aqueles que são especiais, se sintam especiais.

Fazer-me entender, através de longas conversas ou de uma simples frase.

Vejo as montras e as ruas transformarem-se com as decorações de natal, as festas organizam-se por todo o lado, na televisão multiplicam-se os anúncios e os desejos de festas felizes, começo a receber as mensagens escritas, os emails…eu continuo a adorar receber os postais ou os telefonemas.

Observo toda esta loucura à nossa volta e penso e agora?
Tenho que entrar neste espírito também. E por obrigação ou porque sou mesmo contagiada lá entro na onda.

Quero mesmo acreditar que o Natal traz algo de bom e a minha maneira optimista de viver a vida faz-me pensar assim e evita entrar numa nostalgia extrema que esta época também pode provocar.

E é ai que penso nas minhas filhas. Faço com que vivam esta época com toda a magia e toda a fantasia que a idade delas merece. Porque elas ainda acreditam. Em tudo.

E é através da sua inocência que vou buscar cassetes de natais passados comigo em criança para elas verem, é por isso que pego na câmara de filmar e registo todos os momentos para elas mais tarde poderem relembrar e mostrar aos seus próprios filhos.

É por isso que pego nos cobertores e me enrolo no sofá com uma de cada lado a ver a “Música no Coração”, filme que mais me marcou e as observo a verem tudo com muita atenção e volto a reviver aquilo que já vivi, os filmes, as decorações, as músicas, o espírito, a família, o Pai Natal, as histórias, os presentes.

E mesmo que seja uma vez por ano já vale a pena, desde que viva com toda a intensidade que conseguir e não esconda sentimentos nem emoções.

Já bem basta ter que fazer subentender coisas durante todo o ano, nesta época vou falar abertamente e viver intensamente.

Eles e Elas-Novembro 2006-Saber Amar

“Num dia tempestuoso ia São Martinho, valoroso soldado, montado no seu cavalo, quando viu um mendigo quase nu, tremendo de frio, que lhe estendia a mão suplicante e gelada.

S. Martinho não hesitou: parou o cavalo, poisou a sua mão carinhosamente na do pobre e, em seguida, com a espada cortou ao meio a sua capa de militar, dando metade ao mendigo.

E, apesar de mal agasalhado e de chover torrencialmente, preparava-se para continuar o seu caminho, cheio de felicidade.

Mas, subitamente, a tempestade desfez-se, o céu ficou límpido e um sol de Estio inundou a terra de luz e calor.

Diz-se que Deus, para que não se apagasse da memória dos homens o acto de bondade praticado pelo Santo, todos os anos, nessa mesma época, cessa por alguns dias o tempo frio e o céu e a terra sorriem com a benção dum sol quente e miraculoso.”

Decidi começar esta crónica com a lenda do santo padroeiro do local na terra mais especial para mim: S. Martinho do Porto.

Terra, que se não existisse, talvez eu não existisse também, pois foi onde os meus pais se conheceram, apaixonaram, namoraram, e passaram bons momentos, primeiro só os dois e depois comigo e com o meu irmão.

A minha mãe sempre me contou com um brilho nos olhos as recordações que S. Martinho lhe trazia.

A principal foi quando foi eleita Miss S. Martinho. Das melhores recordações do meu pai, que eu pude presenciar, foram as vitórias todos os anos nos torneios de ténis de S. Martinho.

Decidi dedicar esta crónica aos meus pais, a S. Martinho, um brinde a todas as nossas recordações juntos. Um brinde ao Amor. Amor de Pais.

O que se ama muito permanece, o que se ama muito é a nossa verdadeira herança. E os meus pais sempre me ensinaram que para quem sabe amar bem nada é impossível.

O fim do Verão, como já tinha referido na minha crónica de há um ano para cá deixa-me sempre assim. É como se fizesse um balanço do ano. Acho que vivo como uma empresa normal, que também faz o seu balanço nesta altura.

Não podia acabar esta crónica sem agradecer a todos aqueles que me deram força, aos meus amigos de quem falei aqui, aos que não falei, mas que sabem que também são especiais, à minha família que está sempre lá.

Ao meu marido que mais uma vez provou ser o meu porto seguro, a minha estrutura, o meu anjo na terra, ao meu irmão que agora também é filho e a quem quero dizer que vai tudo correr bem e às minhas filhas que são a minha vida e a quem quero transmitir, ensinar e proporcionar tudo aquilo que os meus pais também me transmitiram, ensinaram e proporcionaram.

A todos na terra e no céu, obrigada.

Eles e Elas-julho 2006-Verão

Verão, Verão, Verão!
Para a maioria das pessoas o verão é sinal de férias. Para mim é sinal de mais trabalho, mais eventos, mais festas.

Tento aproveitar tudo da melhor maneira e principalmente ter tempo para tudo nem que para isso tenha que dormir menos para atribuir mais horas ao meu dia.

Permitir que as minhas filhas usufruam da minha companhia durante as férias, dar-lhes praia e passeios e aproveitar eu também um bocadinho da praia de que tanto gosto e que tanto contribui para o recarregar das minhas baterias.

Há tempo para tudo é preciso é organização.

Eles e Elas-Fevereiro 2006-Terra Firme

Mal começa aquele ar de primavera parece que ficamos com uma disposição diferente, com mais vontade de encarar o dia, a noite, o mundo.

Puder almoçar em esplanadas em frente ao mar. Puder andar de alças, saias, e o melhor tudo largar as meias e botas e calçar as maravilhosas e confortáveis socas…

Pegar nas minhas filhas, levá-las à praia, brincar com elas na areia, molhar os pés na água.

São sensações que só o bom tempo permite e eu tenho que confessar que sou definitivamente uma pessoa do Verão.

Não consigo gostar do Inverno. A primeira crónica que escrevi, estava a acabar o verão azul, agora espero que o começo desta primavera azul, antecipe da melhor forma o verão que aí vem.

Às vezes queremos que a terra pare de tremer e que a esperança que sustenta todas as nossas ansiedades se transformem num porto seguro, numa verdade absoluta e em terra firme debaixo dos nossos pés.

E é sentirmo-nos importantes para alguém e fazer com que alguém se sinta importante para nós que faz toda a nossa vida fazer sentido.

Porque fazemos uma diferença. Porque somos únicos. É essa a nossa terra firme.

Momentos

Excerto da minha Crónica na Revista Eles e Elas-Janeiro 2006


Às vezes temos que nos sentir mais fragilizados para dar importância a certas coisas e principalmente às pessoas que nos rodeiam e perceber o especiais que são para nós.

A cumplicidade, o carinho, a partilha que temos com os nossos amigos são tesouros que temos de preservar.

Acho que o truque é vivermos cada dia como se fosse o último, viver cada momento como se fosse o único e deitarmo-nos sempre a pensar que amanhã é um novo dia.

Sabermos quais são as nossas verdades absolutas, sabermos arrumar tudo o que nos acontece em prateleiras na cabeça, recordar quando temos de recordar, viver quando temos de viver, esquecer quando temos de esquecer.

Nunca perdermos o nosso rumo, irmos sempre atrás daquilo que nos faz realmente feliz porque temos essa opção. Temos essa escolha. Ser feliz por um minuto, mas ser feliz.

Quando não sabemos a que porto nos dirigimos, nenhum vento nos é favorável.


O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também! 

Eles e Elas-Dezembro 2005-Inverno Azul

E começou o Inverno Azul.
Recebi-o com a Nostalgia que me invade sempre que começa o tempo frio.

Mas como sou uma pessoa que tenta sempre tirar o melhor partido de tudo, pensei logo naquilo que o Inverno tem de bom: Uma boa conversa no quentinho de casa à lareira e com um bom copo de vinho tinto.

Ouvir a chuva lá fora e adormecer com esse som da natureza. Beber uma caneca de chocolate quente ou um cappuccino. Ficar no quentinho da cama debaixo do edredon até mais tarde de manhã. E chega. Porque o Inverno não tem assim tantas coisas boas…

Não há melhor que recordar todos os momentos que vivemos, fechar os olhos, absorvê-los e deixar que o nosso subconsciente faça uma festa com eles.

Partilhar todos estes momentos com os amigos tem tornado todas essas experiências muito mais enriquecedoras.

Aceitar esses pequenos prazeres que nos vão acontecendo e aproveitá-los faz-nos pensar no esforço que às vezes perdemos a tentar moldar as coisas e no pouco tempo que gastamos a apreciá-las.

Encontros e Desencontros...

 Excerto da minha Crónica na revista Eles e Elas-Outubro 2005



"A vida é isto mesmo, termos à nossa volta quem nós gostamos e aproveitarmos todos os momentos ao máximo, registarmos esses momentos através de fotografias, através da escrita, e guardando na nossa memória, para que sempre que toque “aquela” música nos venha tudo à cabeça.

São cumplicidades que ganhamos com aquelas pessoas que por uma razão ou por outra passam pela nossa vida e nos marcam de alguma forma.

É uma bênção termos tido a sorte de nos cruzarmos com essas pessoas com quem ganhámos algum tipo de ligação.

São recordações que já ninguém nos tira e nos fazem sorrir cada vez que pensamos nelas.

A vida é feita de encontros e desencontros.

De vez em quando dá-nos momentos tão preciosos, tão carregados de sentido que nos sentimos flutuar…

A liberdade é sentirmos o que o nosso coração deseja e irmos atrás disso, independentemente da opinião dos outros."


 O MAPSHOW está no FACEBOOK!Siga-nos por lá também!

Excertos Crónicas Revista Eles e Elas

Desde 2005 que escrevo crónicas na Revista Eles e ELas.
São crónicas onde "divago" sobre variados assuntos, ideias, pensamentos, homenagens.Histórias de vida.
Decidi partilhar excertos dessas crónicas aqui.

28 fevereiro 2012

O projecto Salt Beach Club que não avançou...

Ficou a experiência de duas coisas, a primeira:fazer o lançamento, promoção e divulgação de um espaço que não existia, a segunda de ter um projecto que já era um sucesso "nas mãos"e ter que lidar com o facto de que não iria acontecer...
Ficam as memórias...

O Filme de promoção



A entrevista que dei ao Sapo na altura.

24 fevereiro 2012

Fundação Aragão Pinto no Você na TV

O meu Pai

O meu Depoimento para a Fundação Aragão Pinto

Apelos Fundação Aragão Pinto

Depoimento Fundação Aragão Pinto-Dani

Depoimento Fundação Aragão Pinto-Maria de Lourdes Borges de Castro

Depoimento Fundação Aragão Pinto-Ricardo Sá Pinto

A História da Fundação pelo Presidente Bruno de Carvalho

Spot Fundação Aragão Pinto

16 fevereiro 2012

Roll-On Pure Active 2 em 1 da Garnier

Mais um produto com o qual a minha pele se deu bem deste o primeiro dia

Creme Hidratante Anti-Imperfeições da Garnier Pure


Já experimentei muitas marcas de cremes hidratantes, umas gostava mais que outras, mas nenhuma me dava a sensação que tenho tido com este creme hidradante da garnier, mesmo na reacção das pessoas percebo que os resultados estão à vista.
Tem uma acção purificante e remove as imperfeições dia após dia, além de conseguir uma pele fresca e limpa.

Esfoliante Clarifying Lotion 4


Este esfoliante faz parte da linha dos 3 passos da Clinique.Pois eu só faço este passo e limpo a pele com ele de manhã e à noite.
Sinto que a pele fica verdadeiramente limpa e mesmo depois de passar com o desmaquilhante, nada como voltar a limpar com o clarifying lotion.Há o 1, 2, 3 e 4 conforme os tipos de pele.Já experimentei todos e sem dúvida o com melhores resultados na minha pele é o 4.

Cuidados com a pele

Confesso que nunca tive grandes cuidados com a pele.Sou apaixonada pelo sol e pela pele bronzeada.
Só de há uns anos para cá é que comecei a tomar mais cuidado, por me aperceber que poderia não haver volta atrás para a minha pele e comecei a usar protector solar.
Sim bronzeio-me na mesma, continuo a ficar bem morena, mas protegida.
O meu tom de pele já é moreno, por isso sou daquelas pessoas que basta ficar 5 minutos ao sol que parece que estive uma semana nas caraibas.
Sei que tenho sorte nesse aspecto e é também por isso que não preciso de "esturricar" para ficar com uma bela côr.
Mas a minha "relação" com o sol não é só para ficar com a pele bronzeada.O Sol faz-me bem a todos os niveis.E se os raios fazem mal, então continuo a alimentar-me do sol, mas protegida contra aquilo que faz mal.O Sol dá-me energia, aquece-me a alma, pôe-me bem disposta.
Mas para já não estou aqui para falar de protectores solares, estou aqui para falar de cuidados diárias da pele independentemente de se apanhar sol ou não.
E a luta de todas nós é termos a pele o mais uniforme possivel, sem manchas, marcas, olheiras, etc.
Não sou nada fã de bases liquidas, mesmo sabendo que são aquelas que mais uniformizam a pele, mas como não gosto e não me sinto bem tenho que usar produtos que me deixem a pele minimamente apresentável para que depois baste pôr um blush e já está.

Como ajudar a Fundação Aragão Pinto


Basta doar 0,5% do Imposto que o Estado retém.

Arrumação de pulseiras


Material Necessário:
Bengaleiro(comprado na Conforama)

Arrumação de óculos escuros


Material Necessário:
Estante de CD's(comprada no IKEA)

Arrumação de Brincos e Aneis


Material Necessário:
-Dois pregos
-Um Martelo
-Um Cabide de Casacos de parede(comprado no AKI)

Arrumação de colares e aneis


Material necessário:
-Dois pregos
-Um martelo
-Um cabide de casacos de parede(comprado no AKI)

Arrumação de Acessórios

Umas das muitas questões que me fazem é como é que eu consigo ter os meus "muitos" acessórios arrumados e organizados.Tive que dar asas à minha imaginação, pois mesmo com muitas opções que há no mercado, nenhuma me parecia prática o suficiente.
Gosto de olhar para os acessórios, de os visualizar com a roupa que vou vestir, gosto de pegar na minha escolha e que não venham todos atrás...enfim todas aquelas dificuldades que quando estamos com pressa não ajudam nada.
Deixo-vos aqui as minhas invenções de decoração/arrumação/organização.

15 fevereiro 2012

CLOSER


Espectáculo Closer-com Renato Godinho, Paula Lobo Antunes, Sara Matos e João Reis

Encenação: Rui Mendes

Local: Auditório Casino Estoril

Estreia: Dia 22 Fevereiro, às 20h30

Estará em cena de 5ª a Sábado às 21h30 e Domingos às 17h, até 8 de Abril.

O Departamento de Actores vai nascer para fazer Teatro de qualidade para grandes massas de público. O Teatro de qualidade não tem de ser elitista. Actores de qualidade com notoriedade pública, grandes textos, salas poderosas e uma divulgação eficaz podem resultar, mais do que na criação de um novo público, numa nova forma de encarar o Teatro.

Esse é também o objectivo deste projecto, estimular o público com grandes dramaturgos, mostrando às pessoas que podem ver os actores que gostam, fazer Teatro que elas nunca pensaram gostar.

O primeiro texto que o Departamento de Actores vai levar à cena é "Closer", de Patrick Marber. A peça premiada por todo o mundo, que deu origem a um não menos premiado filme, conta com as interpretações de João Reis, Paula Lobo Antunes, Renato Godinho e Sara Matos. A encenação estará a cargo de Rui Mendes. A estreia será no próximo dia 22 de Fevereiro, no Auditório do Casino Estoril, onde estará em cena até 8 de Abril, de 5ª a Sábado às 21h30 e Domingos às 17h. As reservas podem ser feitas já através do email reservas.depactores@gmail.com ou na página do facebook "Departamento de Actores". Os bilhetes estarão à venda no Casino Estoril, em closer.bilheteiraonline.pt, FNAC e CTT.

Sinopse da peça:

A segunda peça de teatro de Patrick Marber pretende ser uma esquematização da teia de relações que se estabelecem entre os elementos de um quarteto amoroso. O objectivo principal da obra é efectuar uma caracterização psicológica das personagens, a mais completa possível, sem cair nos tradicionais estereótipos ou julgamentos morais, baseados em códigos de conduta obsoletos, envolvendo dois casais que habitam a grande metrópole da Europa, Londres.

Patrick Marber torna-se, por isso, exímio em mostrar atitudes sem recorrer a criticismos manipuladores. Talvez seja por essa razão que Closer, quer em formato de obra literária, cinematográfica ou cénica, cause, inevitavelmente, um fortíssimo impacto no público, ao tocar em temas tão efervescentes como a fidelidade ou infidelidade nas relações amorosas, a mono ou poligamia, os jogos psicológicos onde a mentira veste a máscara da verdade e vice-versa, o medo da exposição da identidade na internet, o cyber-erotismo, a inveja e a vingança. Todo um caldeirão onde são cozinhados os mais potentes venenos emocionais aos quais ninguém consegue ficar indiferente.

Um delirante e fascinante jogo de emoções, recheado de diálogos viscerais, que se tornam verdadeiros exorcismos de toda a espécie de tabus que possam, ainda, existir nos binómios amor/sexo ou verdade/mentira…

Uma peça premiada um pouco por todo o mundo.


video

14 fevereiro 2012

MAIS IMAGENS DA ACÇÃO KEEP CALM TODAY WE ARE IN LOVE





















IMAGENS KEEP CALM TODAY WE ARE IN LOVE







KEEP CALM TODAY WE ARE IN LOVE


E se de repente nos apetecer espalhar amor por Lisboa?
E se de repente nos apetecer oferecer presentes especiais e fazer com que as pessoas se sintam únicas?
A Culto Decor, em parceria com a Marta Aragão Pinto, conscientes das datas especiais, como o Dia dos namorados, resolveram dar um presente aos lisboetas.
São acções como esta, que nos tornam a todos mais especiais, que levantam a moral…e nos fazem sorrir…
O Saldanha e o Campo Grande acordaram “In Love” com 1200 quadros “Keep Calm” distribuídos pelos dois locais.

Todos os que passavam partilhavam o mesmo comportamento, primeiro tímidos, depois curiosos, e por fim felizes por poderem levar um quadro para casa.

Um quadro que lhes alegrou o dia, que despertou um sentimento de partilha do momento, através de fotografias e de publicações nas redes sociais.

Distribuímos mais 100 quadros pela Rádio, Imprensa escrita, televisões e várias personalidades.

Quisemos que por momentos sentissem que são especiais, por nos darem as noticias, por nos entreterem, por serem únicos.

Toda a equipa envolvida empenhou-se nesta acção para que Lisboa acordasse e passasse o dia de sorriso na cara.
Porque “KEEP CALM TODAY WE ARE IN LOVE”.

By:
Culto Decor
Marta Aragão Pinto

08 fevereiro 2012

Cocktails Martini Terrazza





Cabelos e unhas:Absolutlook
Macaco: Shop One
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:Marc Ecko
Brincos, cinto, colar, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Billabong Casino Estoril




Cabelos e unhas:Absolutlook
Top:Marias
Calções: ZARA
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Tintas CIN-Concerto Tiago Bettencourt




Cabelos e unhas:Absolutlook
Top:Shop One
Saia: Stardivarius
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, colar, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Mulheres + Flash Terrazza Martini 2010




Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido.Jean Paul Gautier
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, colar e aneis:MAPSHOW

Bacardi Live it Like it Party




Cabelos e unhas:Absolutlook
Top:Sfera
Leggins:Sfera
Sapatos:Zara
Maquilhagem:Absolutlook
Relógio:Marc ecko
Pulseira:Casa Batalha
Brincos e aneis:MAPSHOW

Kisser Casting Martini Terrazza





Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido:Marias
Colar:Marias
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Sephora
Relógio:D&G
Brincos, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Mulheres + Flash Terrazza Martini




Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido:BCBG
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Festa Verão TVI Santa Eulália





Cabelos e maquilhagem:Equipa TVI
Macaco: Shop One
Sapatos:Made In
Relógio:D&G
Brincos, colar, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Abertura Hotel Inspira Santa Marta





Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido: Lanidor
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio: Aviator
Brincos, cinto, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Paper Jamz




Cabelos e unhas:Absolutlook
Camisa:ZARA
Blaser: Zara
Calças: Shop One
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, colar, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Coca Cola Zero-Concerto Rui Reininho




Cabelos e unhas:Absolutlook
Top:Marias
Leggins: Zara
Botas:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:Marc Ecko
Brincos, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Casa do castelo-Nokia





Cabelos e unhas:MAPSHOW
Vestido:Morgan
Sapatos:MAPSHOW
Maquilhagem:Clinique
Relógio:Swatch
Brincos, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Amoreiras-Abertura Guess





Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido:Marias
Sapatos:Made In
Carteira: Top Shop
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Cocktail Mesoestetic




Cabelos e unhas:Absolutlook
Camisa:Shop One
Calções: Stardivarius
Blaser: Sfera
Collants:MAPSHOW
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Festa Martini Ocean's eleven





Cabelos e unhas:MAPSHOW
Vestido:Mango
Sapatos:Prof
Maquilhagem:Body Shop
Relógio:Swatch
Brincos, cinto, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Festa Tamariz





Cabelos e unhas:MAPSHOW
Vestido:Shop One
Sapatos:MAPSHOW
Maquilhagem:Body Shop
Relógio:Swatch
Brincos, colares, pulseiras e aneis:MAPSHOW

07 fevereiro 2012

Evento Fundação Aragão Pinto no Estádio de Alvalade




Cabelos e unhas:Absolutlook
Camisola:MAPSHOW
Calções: O'Neill
Cachecol:Shop One
Collants:MAPSHOW
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:Swatch
Botas:MARIAS

Relógios InTime Hotel Inspira Santa Marta




Cabelos e unhas:Absolutlook
Top:ZARA
Saia: Stardivarius
Colar:Marias
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, cinto, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Evento Luso-Laço Fontana Park Hotel





Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido:Tintoretto
Sapatos:ZARA
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos,pulseiras e aneis:MAPSHOW

Festa Jézebel




Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido: Morgan
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, colares, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Cocktail Altis Belém




Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido:Shop One
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:D&G
Brincos, cinto, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Gala Nicolau Breyner Coliseu dos Recreios




Cabelos e unhas:Absolutlook
Vestido.MARIAS
Sapatos:Made In
Maquilhagem:Bourjois
Relógio:Marc Ecko
Brincos, pulseira e clutch:Marias
Aneis:MAPSHOW

Jantar Casa do Castelo no Tamariz




Cabelos e unhas:MAPSHOW
Vestido.Shop One
Sapatos:ZARA
Maquilhagem:Clinique
Relógio:Swatch
Brincos,colares, pulseiras e aneis:MAPSHOW

Jantar BBC




Cabelos e unhas:MAPSHOW
Top:Shop One
Saia:Shop One
Botas:Prof
Maquilhagem:Clinique
Relógio:Swatch
Brincos, cinto, colar e aneis:MAPSHOW